O Dia Seguinte

 

841542907

Olá, eu Sou Rodrigo Bamondes e no episódio de hoje falaremos sobre a continuidade e os dias seguintes.

Este post tem o nome de um filme de ficção que conta a vida de pessoas comuns no dia seguinte de uma guerra nuclear.

Muito embora nossa situação não seja tão ruim. Eu percebo que a degradação de nossas relações pessoais tem paralelo com as do filme.

A primeira coisa é que eu vou criticar ambos os lados. Eu não acredito em batalha do bem contra o mal. No máximo, do mal contra o mal, principalmente após assistir a sessão da Câmara do último dia 17/04. E da Sessão do Senado do dia 28/04 sobre a Comissão de Análise do Pedido de Impeachment.

Minhas proposições aqui são fatos e objetos para reflexões. São a favor de olharmos para toda forma indignação seletiva, e limarmos isso. Tudo o que eu disser aqui você poderá encontrar nas notas do episódio para ler, refletir e tirar suas próprias conclusões. Tive o cuidado de procurar utilizar fontes de vários matizes políticos-ideológicos, para ser abrangente.

Você está preparado?? Se não estiver pare este episódio AGORA!

Bem, obrigado por ter ficado.

A primeira coisa, é que esse episódio iria ao ar no dia 18/04, mas por sorte ou azar eu não consegui finalizá-lo, pelo lado ruim, muito do impacto se perdeu com a centena de acontecimentos políticos do período, pelo lado bom, isso me permitiu uma visão mais analítica e ponderada e menos sentimental.

Para se ter uma ideia, os jornais de 22/04 deveriam noticiar o caminho da tocha olímpica e não a queda de uma ciclovia que matou duas pessoas, fora um desaparecido. É o Brasil não é para iniciantes.

A votação de 17/04 que definiu o início do processo de impeachment trará consequências graves ao país.

Não vou aqui falar da questão se esse processo é legal ou não:
1° porque eu não conheço as leis minimamente para discutir o assunto;
2° porque eu vejo vários juristas e analistas políticos dizerem coisas conflitantes, não havendo concenso;
3° o mais importante, várias pessoas estão usando discursos antigos de políticos para justificar essa ou aquela posição. Cabe lembrar que os políticos, em sua maioria, não são conhecidos pela coerência, mas sim por defender as posições de suas atuais.

Explicando o último item: Políticos defendem suas coligações de poder atuais e seus interesses pessoais mais imediatos. Assim sendo, se o Temer e Cunha defendiam que o processo de impeachment era golpe e agora o desejam como se fosse, isso não é um problema, ao menos para eles. Vale lembrar que antes de entrar no poder o PT tinha uma média de 1 pedido de impeachment a cada 3 meses. Será que todos aqueles pedidos eram substancialmente bem embasados e nenhum deles significaria uma tentativa de golpe???

Decidi fazer então uma observação do ponto de vista econômico e político, que são onde consigo analisar.

Desde que voltamos a ser uma democracia, a situação econômica tem sido decisiva para as mudanças políticas. Vamos recaptular?

Para não voltarmos muito no tempo, vamos pegar como ponto de partida o fim do último regime militar que tivemos, e que espero que tenha sido o último. No fim do regime militar, ficou se definido que a eleição de 1985 seria indireta e apenas em 1989 seria direta.

Nessa eleiçao indireta de 1985 concorreram na fase final duas chapas:
– A Aliança Democrática de Tancredo e Sarney
– Partido Democrático Social: Maluf / Marcílio

A chapa A Aliança Democrática ganhou as eleições por uma larga vantagem, em torno de 72% dos votos do colégio eleitorial, fora 26 que se abstiveram, Liderados pelo PT que ordenou que toda sua bancada de 8 deputados se abstivesse, porém 3 deputados compareceram e votaram pela Aliança Democrática, tendo sido posteriormente expulsos do partido e 20 anos depois, foi solicitada sua reintragação .

Para um de seus companheiros Tacredo Neves teria dito de maneira irônica que não foi o movimento Diretas Já que tirou a ditadura do poder, mas sim a situação do defícit do país que os fizera desistir. Olha a economia aí gente.

Apesar de haver ganho Tancredo morreu sem ter conseguido ser empossado e numa manobra estranhíssima a época, o vice José Sarney assumiu, ao invés de ocorrerem novas eleições. . Durante o governo Sarney a economia foi de mal a pior com sucessivos planos econômicos fadados ao fracasso. Baseados principalmente em congelamento de preços. Tivemos Cruzado, Cruzado 2, Bresser e Plano Verão, média de 1 plano por ano, e todos eles naufragaram. Foram marcados pela escassez de produtos básicos de higiene e limpeza. Para se ter uma ideia, nessa época meu pai que era químico teve que aprender a fazer amaciante e outros produtos de limpeza em casa porque faltava nos supermercados ou tinham em quantidade muito pequena.

Para se ter uma ideia do absurdo, programas humorísticos faziam esquetes o tempo todo sobre a perda de poder aquisitivo e a criação de outro plano econômico, como esse que você vai ouvir agora da TV Pirata, onde durante o programa aparecia um noticiário de emergência comunicando a demissão do ministro da Fazenda, a contratação do novo ministro e um novo plano econômico, se puder, depois veja o vídeo dos esquetes.

<Esquetes TV PIRATA>

Em 89, tivemos a primeira eleição direta em décadas, com 23 chapas fazendo campanhas ela foi extremamente confusa, inclusive com candidatos como o Silvio Santos tendo sido proibidos de participar durante o processo, por leis que foram aprovadas durante a madrugada. Acusações contra redes de TV que teriam benefiado o candidato Fernando Collor e detratado o candidato Lula covardemente, principalmente após este expressar algumas opiniões polêmicas contra emissoras de TV e o pagamento da dívida externa. Vale a pena você dar uma olhada na lista das 23 chapas depois.

A Chapa Collor/Itamar ganhou as eleições, ficando a chapa Lula/ José Paulo Bisol em Segundo. Assim que assumiu, o então presidente Collor fez uma série de medidas para acabar com a inflação e diminuir o protecionismo do mercado nacional, dentre essas medidas estava o confisco da poupança por pelo menos 18 meses. De um dia para o outro pessoas e empresas viram suas reservas serem apreendidas pelo governo. Várias empresas quebraram, várias pessoas acabaram desempregadas.

Esse processo recessivo levou a população a ficar contra o governo, e os partidos foram retirando seus apoios e o isolando.
A imprensa foi levantando escândalos de corrupção que foram investigados pela Câmara, mas apenas com a denúncia feita pelo irmão do presidente, Pedro Collor foi que o processo de impeachment realmente andou.

O impeachment de Collor em 92 foi por motivos econômicos, a população foi as ruas contra um governo. O processo de impeachment começou e foi muito rápido, o processo terminou com a retirada de Collor da presidência para então assumir Itamar Franco, o Segundo vice a assumir a presidência desde o fim do regime militar. O processo do impeachment de Collor foi conduzido por parlamentares acusados de corrupção e em muitos casos deixou margem para contestação jurídica, mas naquela época, ninguém se importava com isso, queria apenas ver o Collor fora da presidência.
Duvida? Então eu vou falar de um post do Spotniks sobre o tema. Já aviso que o post é agressivo, como é o tom do site:

Esse aqui.
O que achou do Post?

Só um comentário, ou melhor, uma correção. Ibsen Pinheiro ex-deputado e ex-presidente da Câmara de Deputados, hoje está como deputado estadual e presidente do PMDB gaúcho… ou seja, ele ainda ganha dinheiro e acumula aposentadorias com a vida pública.
Após o impeachment o então presidente Itamar Franco teve um governo considerado pífio, era muito criticado, chamado de pífio. Teve ministros que caíram com escândalos de propina, e inclusive por denúncias de que eram amantes.

Após o então ministro da Fazenda Rubens Ricupero ser pego falando sem saber que estava sendo transmitido. Fernando Henrique Cardoso virou ministro da fazenda. Durante sua gestão do ministério foi criado o plano Real que estabilizou a economia.

O prestígio de FHC era tanto que Mário Covas declinou de tentar a presidência novamente em favor de FHC. A chapa que tinha Marco Maciel como vice, foi eleita em primeiro turno, sob propaganda contrária do PT dizendo que o plano Real era apenas um plano furado que acabaria após as eleições.

O governo FHC foi marcado por diversos problemas econômicos e quebradeira de bancos, por insolvência que se tornou clara após o término da hiperinflação. A hiperinflação escondia os problemas de saúde financeira. Foram criados os primeiros controles modernos sobre o sistema bancário. Em 1998 diversos problemas econômicos fariam com o que o seu sucessor não se elegesse, a não ser que fosse ele mesmo, e em um processo que até hoje tem acusações de compra de votos, a reeleição foi aprovada.

FHC ganhou as eleições de 1998. Em 1999 parlamentares encabeçados pelo PT protocolaram um pedido de impeachment contra FHC, Lula nessa época já estava passando por uma mudança de tom para ser mais palatável para a classe média e empresários e não tomou frente desse processo. Ficando Leonel Brizola como principal nome dessa tentativa de troca de governo.

Em 2001 o Brasil teve um apagão, com racionamento de energia e outros problemas. O governo FHC cambaleou até o final do mandato e durante as eleições de 2002 o chamado “risco Lula”, um movimento especulativo, fez a cotação do dólar ir para as alturas, batendo R$ 4,00 em 10/10/2002 e fechando o dia em R$ 3,99. Mesmo assim, Lula se colocou como a esperança e foi eleito.

Durante seu primeiro ano de mandato sofreu com a pressão inflacionária do dólar, com uma política monetária considerada restritiva e superavitária. Com o início do boom das commodities causada pelo crescimento da China a economia brasileira começou acelerar e crescer a reboque. No ano de 2005 estourou o escândalo do mensalão que fez com que o PT perdesse importantes membros do partido que acabaram presos ou afastados da vida pública, mas com o crescimento econômico já se ficando evidente, não houve ambiente para se tentar derrubar o presidente.

Com o crescimento expressivo da economia brasileira e projetos de distribuição de renda como o Bolsa Família, levaram a chapa Lula/ José de Alencar a se reeleger em 2006 e posteriormente a chapa Dilma/Temer ganharem as eleições em 2010. Já no final do Governo Lula a diminuição da velocidade de crescimento da China já estava apontando para uma r eversão da balança comercial e para o crescimento do déficit das contas públicas.

Com o fim do Boom das Commodities o governo que tinha passado os últimos anos aumentando desenfreadamente seus gastos começou a apresentar defícits cada vez maiores,

E eu vou parando essa revisão por aqui porque acredito que vá ficar cansativo demais e também porque entendo ter explicado o meu ponto, que resumindo:

1 – Se a economia estiver minimamente bem, ninguém vai querer retirar o presidente, mesmo com fortes indícios de corrupção;
2 – Se a economia não estiver bem, mas a presidência consiga manter politicamente seus aliados, evitando os rompimentos, o impeachment também não acontece;
3 – Se a economia não estiver bem, e politicamente você está isolado, é questão de tempo até quererem trocar o governo;
4 – Fiquem de olhos beeeem abertos para os vices.
Para dar uma quebrada em só eu dando o meu ponto de vista, a minha opinião, vou colocar o áudio do meu amigo Rubens sobre a percepção dele desses acontecimentos. E se fica o convite, você tiver algo a dizer sobre a atual situação do país, me mande um áudio, é só gravar e me passar o link pelos contatos do Confianti ou ir nas notas do episódio e postar seu comentário. Então vamos ouvi-lo e ao final eu volto com as considerações .

<áudio do Rubens>

Pessoal, espero que tenham gostado e até o próximo Episódio.

Capas da Veja

Capa Veja: E agora Fernando, sobre o então ministro da Economia com a inflação de 40% ao mês

Capa Veja: E agora Fernando, sobre o então ministro da Economia com a inflação de 40% ao mês

Capa Veja com foto de Lula O PT cresce e Agita, nos anos 80 antes das eleições diretas

Capa Veja com foto de Lula O PT cresce e Agita, nos anos 80 antes das eleições diretas

Capa Veja sobre Compra de Votos para aprovação da Reeleição no Congresso

Capa Veja sobre Compra de Votos para aprovação da Reeleição no Congresso

Embates entre Polícia e MST em Brasília em 1990

Embates entre Polícia e MST em Brasília em 1990

Capa Veja com Lula o candidato o Operário

Capa Veja com Lula o candidato o Operário

Capa Veja Itamar Franco e o caso de Lilian Ramos

Capa Veja Itamar Franco e o caso de Lilian Ramos

Extra0006-Veja-odio-collor-2-232x300
Extra0006-Veja-odio-collor-3-232x300 Extra0006-Veja-odio-collor-4-232x300
Extra0006-Veja-odio-collor-5-232x300
Extra0006-Veja-odio-collor-6-232x300
Extra0006-Veja-odio-collor-7-232x300
Extra0006-Veja-odio-collor-8-232x300
Extra0006-Veja-odio-collor-9-232x300
Extra0006-Veja-odio-collor-10-232x300
Extra0006-Veja-odio-collor-11-232x300
Extra0006-Veja-odio-collor-12-232x300
Extra0006-Veja-odio-collor-13-232x300
Extra0006-Veja-odio-collor-14-232x300
Extra0006-Veja-odio-collor-15-232x300
Extra0006-Veja-odio-collor-16-232x300
Extra0006-Veja-odio-collor-17-232x300 Extra0006-Veja-odio-collor-18-232x300
Extra0006-Veja-odio-collor-19-232x300
Extra0006-Veja-odio-collor-111-232x300

Veja Capa - a queda de Collor

Veja Capa – a queda de Collor

Links

O dia Seguinte/The Day After – 1983 Filme Completo

Brasil e seus Vários Planos Econômicos para Controlar a Inflação – Folha – 2014-06-14

Conheça os Planos Econômicos do Brasil – Vírgula – UOL

Vídeos de Esquetes de Economia: Plantão da Farmácia Central – TV Pirata
Eleições 1989  – UOL  – 2009-11-13
Por  que Collor sofreu Impeachment – Politize http://www.politize.com.br/historia/por-que-collor-sofreu-impeachment/
Como foi o impeachment de Collor – Mundo Estranho – Abril –  2014

Fotos das Capas da Veja! – Blog do Estênio Negreiros – 2012-06-12

Fotos das Capas da Veja – Veja – Coluna do Reinaldo Azevedo  – 2012-05-13

Fotos capas da Veja – Blog Argemiro Ferreira – 2010-10-22

Elogiado em voto por impeachment, marido de deputada é preso.
Queda nos preços do Petróleo causa queda nos preços da Petrobras e alta do Dólar
Ibsen Pinheiro defende que PMDB se afaste do governo – 2016-03-28
Golpe Não, Impeachment Sim – Blog do Carlos Munhoz – 2015-12-10
Maioria dos Ministros do STF absolve Collor por falta de Provas – 2014-04-04
Mauro Iasi declarando que deseja fuzilar quem pensa diferente

Boicote do PT ao Colégio Eleitoral de 1985 – PSTU
Vinte anos depois, PT quer reintegrar deputados que votaram em Tancredo – Senado Federal

Quando o PT pediu o impeachment de FHC – Coluna Guga Noblat – O Globo 2015-09
Quando o PT estava do outro lado: sigla lidera pedidos de impeachment – El País – 2016-04-18

Vídeos sobre a saída de Rubens Ricupero: 1 2 3

 

Sobre Stálin

Stálin, o outro monstro – 2015-06-04

Análise do Relatório Kruschek por Frederico José Falcão – Doutorando da UFRJ 2006

Relatório Kruschev – Inglês – Marxists.org

Câmara não vota nada até Senado votar Impeachment – 2016-04-18

Notícias Bancada Evangélica

Bancada Evangélica aprova PEC que dá a igrejas poder de questionar STF
Bancada Evangélica, a mais ausente, inespressiva e corrupta
Pastores criticam Bancada Evangélica