Convivência em Tempos de Cólera

Intolerância

Pessoas expulsando quem pensa diferente

Em tempos de redes sociais, manter amigos pode ser tornar uma tarefa hercúlea quando se tem opiniões divergentes. A intolerância está em alta e a convivência está difícil, ás vezes parece até impossível.

Após discutirmos coisas tão importantes como bolacha ou biscoito, feijão por cima ou por baixo do arroz, Corinthians ou Palmeiras, Paysanduy ou Remo, DC ou Marvel, descemos o nível e resolvemos discutir política de forma emocional, despreparada e destemperada.

Olá você, onde quer que esteja.

Esse é o Confianti e hoje falaremos de Convivência em tempos de cólera.

Quero agradecer ao Danilo Pastor do podcast Papo de Adoradores, por ter me avisado de um erro grave de edição de áudio que havia ficado no último programa. Tive de retirar o episódio do ar e só postei novamente na noite do mesmo dia. Coisas de quem edita durante a madrugada com sono Valeu mesmo Danilo!

Estou neste momento com 3 episódios do Confianti gravados que precisam de edição, fora diversas matérias do Wordprecious que estão sem gravar, mas percebi que em face das manifestações dos últimos dias e do acirramento ainda maior das manifestações com confrontações e agressões físicas eu precisava falar disso.

Agora, estou gravando esse episódio no dia 18/março, as 20hs, tendo acompanhado o desenrolar da Lava a Jato até o momento.

Gostaria de tratar de política em alto nível, empreendedorismo, economia, ou mesmo gastar meu tempo ajudando outras pessoas a colocar os feeds de seus podcasts p/ funcionar como fiz no início da semana, porém eu não passei incólume a politização das discussões.

Acabei sendo agressivo com algumas pessoas e isso é ruim, tanto no âmbito pessoal quanto dos negócios.

Então se você não se interessar sobre o tema de convivência nesses tempos turbulentos, pare agora este episódio.
<pausa>
Muito obrigado por ter ficado.

Um pouco antes de gravar, eu estava vendo uma análise do trailer do reboot dos Caça Fantasmas no canal do youtube do Izzy Nobre e até mesmo a análise do trailer, está extremamente politizada. Estão acontecendo uma disputa nada saudável entre quem gostou e quem não gostou dele. A briga está saindo do normal a ponto dele dizer que se você disser que gostou será taxado de termos absolutamente pejorativos e se disser que não gostou, será taxado de outros termos pejorativos absurdos, isso simplesmente porque você deu uma opinião.
E eu concordo com a análise dele que se nós passarmos a ver todas as coisas que enxergamos como propositais e opressoras, dificilmente poderemos viver felizes, pois teremos a sensação de que tudo estará contra nós.
Agora, se os ânimos já estão fervendo imagina quando se trata da política.

Nos EUA a corrida presidencial parece que virou circo com um Donald Trump fanfarrão, sem experiência política proferindo groselha aos quatro ventos, desde a criação de um muro para separar do México até extradição de imigrantes, recebendo apoio de grupos neo nazistas e racistas. E do outro lado temos os democratas tendo várias dificuldades para escolherem seu candidato devido a sua guerra interna e a rejeição de Hillary Clinton.

Para quem acompanha a política de lá vai ver que temos problemas parecidos, não se discute política, muito menos economia. A profundidade dos discursos não resiste a uma análise mínima. As questões realmente importantes e essenciais a população são deixadas de escanteio e vira tudo uma comédia caríssima onde o contribuinte vai pagar no final, e nesse caso, é o mundo todo.

Mas e aí como está aqui no Brasil?
Hoje estamos nos dividindo basicamente entre elite branca de coxinhas facistas nazistas misóginos, e petralhas esquerdopatas feminazis mortadela. As pessoas julgam que quem não está a favor delas está contra elas e suas convicções, criam muros invisíveis ou como diria um chefe que eu tive um “Chinese Wall” que impedem uma discussão saudável desses temas.
Todos esses adjetivos maldosos que demos, e eu estou me incluindo nisso, criaram esse distanciamento, essa falta de comunicação, essa gritaria onde ninguém se entende.

Vi amigos dizendo para si mesmos para “NUNCA MAIS DISCUTIR OPINIÕES POLÍTICAS”.

E EU? Eu normalmente tento olhar tudo o que leio antes de repassar, pois estou tentando evitar de repassar não só mentiras como também coisas que possam magoar pessoas que pelas quais eu tenho apreço, seja pela forma ou conteúdo. Mas hoje, bemmmmm, hoje eu errei, postei uma notícia falsa, simplesmente porque ao ler de relance aquilo bateu com minhas crenças… e powwww, um grande amigo me avisou que era mentira, e então percebi o quanto estava automatizado nas minhas críticas, estava fora da razão.

Pois bem, retirei o post, e pedi desculpas. Mas não deixei de pensar, e se fosse uma pessoa que me conhece pouco, ou mesmo um cliente? Danos a imagem estão se tornando cada vez mais comuns, destruindo relacionamentos, amizades e azedando a convivência no trabalho.

E como sair disso?
Bem, acho que TODOS precisamos de mais paciência, mais deixa pra lá, e até, quem sabe ligar um pouco o foda-se para vivermos mais felizes.
Hoje gostaria de estar em um lugar agradável conversando sobre assuntos diversos com meus amigos mas a política atropelou tudo isso.

Entre opiniões divergentes pode se ter muita coisa a aprender se baixarmos as armas, o tom e passarmos a ouvir mais, mesmo as coisas que nos parecem absurdos.

A melhor lição de tolerância que tenho são com meus grandes amigos que tem opiniões diferentes das minhas, eu aprendo muito com eles, e agradeço por continuar amigo deles há mais de 20 anos.

Esses são tempos de intolerância crescente, seja pelo constante bombardeio de informações que torna impossível processarmos tudo conscientemente, chegando ao ponto das pessoas começarem a se maltratar por demonstrarem ter opiniões diferentes ou mesmo a cor da camisa errada.

Nesses dias, vi manisfestantes sejam pró governo ou contra governo provocando sem justificativa, xingando, ameaçando, empurrando, e até agredindo fisicamente que parecia não ser um apoiador.
Nesses tempos de cólera, é importante pararmos, respirarmos e que reflitamos, antes de cairmos todos na insanidade de achar que todos os problemas podem ser eliminados eliminando quem pensa diferente da gente.

Até, e como diria o Christian Gurtner do Escriba Café, Fiquem em Paz!

 

LINKS

Trailer comentado do Caça-Fantasmas no canal do Izzy Nobre