Grace Hopper Explicando o conceito do Cobol a oficiais militares

Grace Hopper Explicando o conceito do Cobol a oficiais militares

A história possui milhões de exemplos de pessoas  que fizeram coisas impressionantes os quais não tiveram reconhecimento de seus feitos. E esse reconhecimento é menor ainda quando falamos de mulheres que fizeram a diferença no mundo.

De tanto que não divulgamos, discutimos e falamos sobre elas, seus feitos se perdem pelo tempo e em algum momento passamos a nem perceber sua existência.

A contra-almirante Grace Hopper (1906-1992) é uma dessas pessoas. Embora nos EUA ela tenha tido algum reconhecimento, ela é praticamente desconhecida no resto do mundo. Considerada a mãe da linguagem COBOL e tendo recebido em vida a alcunha de Amazing Grace (“Sublime Graça”) e “Software Queen” (“Rainha do Software”), ambos em vida,  muito pouca gente hoje sabe que ela existiu e menos ainda de sua importância para o avanço e disseminação da TI.

Graça Murray Hopper nasceu em Nova York em 09 de dezembro de 1906. É importante destacar que sua família considerava os estudos como fundamentais para o desenvolvimento do pessoal, que acreditava-se que homens e mulheres devem ter as mesmas oportunidades. Além disso, seus pais a incentivavam a não seguir os modelos da sociedade da época. Isso, unido com as qualidades para a ciência em geral, e as matemáticas em particular, que Grace mostrou desde a infância, fizeram com que estudasse até a universidade.

Durante o secundário estudou no Vassar College , onde se graduou em matemática e física, e mais tarde recebeu seu doutorado em matemática na Universidade de Yale (primeira mulher consegui-lo), sob a supervisão do matemático norueguês Øystein Ore .

Apesar de tudo isso, e de que estava trabalhando como professora, a vida de Grace Hopper seguiria um caminho em principio muito diferente do que marcava seus estudos. Talvez inspirada por seu bisavô, que era militar (Alexander Russell , o almirante da Marinha dos Estados Unidos), Grace entrou na Marinha dos Estados Unidos aos 37 anos para ajudar nos esforços da Segunda Guerra Mundial, tendo passado por várias dificuldades para ser aceita, dentre elas o fato de não atingir o peso mínimo, e posteriormente tornando-se a número um em sua classe e deixando-a com a patente de tenente júnior.

Como não poderia ser de outra forma, Hopper passou a ter uma ocupação de acordo com a sua formação. Especificamente, ele ficou sob o comando do matemático Howard Aiken , principal desenvolvedor do computador Mark I. A relação de trabalho entre Aiken e Hopper foi muito bem sucedida, atingindo escrita colaborativa vários artigos sobre Mark I e seus sucessores, o Mark II e Mark III.

Relatório escrito por Hopper com o primeiro bug (uma mariposa) encontrado

Neste contexto, Hopper está relacionada a um dos momentos mais curiosos da história da computação, já qui foi encontrado no Mark II o primeiro bug real. A história é mais ou menos a seguinte: erros foram detectados no Mark II e, após a verificação, foi encontrado um pequeno inseto (bug em inglês) entre as conexões. O caso foi um problema e partiu daí o nome para os erros de software. Hopper que difundiu esta designação para erros de computador.

Em meados da década de 50 do século XX, Hopper foi contratada em empresa privada como matemática sênior. Esta empresa foi chamada na época de Eckert-Maunchly Corporação e lá estavam John Presper Eckert e John Mauchly William, pais do famoso ENIAC. Hopper foi para contribuir com desenvolvimento da ciência da computação para além dos seus usos predominantemente militares, e ela fez. Grace desenvolveu o primeiro compilador da história e o primeiro compilador para processamento de dados que usava comandos em Inglês: o FLOW-MATIC.

Mas as coisas não pararam por aí. Hopper queria ir um pouco mais longe para tentar criar uma linguagem de programação em que o computador entende Inglês, a língua dos negócios, e que poderia ser usada em qualquer computador. Essas ideias formaram a base do Common Business- Oriented Language (COBOL), e um par de anos depois foi criada uma comissão para projetar a linguagem. Grace é conhecida como “vovó COBOL”.

Alguns anos mais tarde, em 1966, Hopper teve de se aposentar da Marinha, devido à idade, mas logo depois foi chamada de volta para ajudar com o pagamento eletrônico da folha de pagamento por um curto tempo. Mas o que a princípio seriam de 6 meses, foram convertidos em vários anos. Em 1973, Grace Hopper foi retirada da reserva e nomeada capitã. Aposentou-se da marinha em 1986, já como contra-almirante.

Entre os muitos prêmios que Grace Hopper recebeu, encontram-se mais de 40 doutorados honoris causa, a medalha de Serviço Distinto da Defesa a Medalha Nacional de Tecnologia, e um destróier da Marinha americana leva seu nome: USS Hopper (DDG -70) .

Participou da programação e execução do cálculo no Mark I de um cálculo especial para o Sr. John von Neumann (que na época demorou 3 meses) para fazer uma explosões que colapsassem um bomba nela mesma, apenas após a guerra ela percebeu que teve participação decisiva na construção da primeira Bomba atômica.

Desde 1971 é entregado o Prêmio Grace Murray Hopper pela ACM (Association for Computer Machinery). Entre os vencedores incluem nomes famosos do computador moderno como Donald Knuth (primeiro prémio, 1971), Stephen Wozniak (1979) e o Richard Stallman (1990).

Curiosidades

Criadora de jargões e frases de efeito, teve diversas delas que ficaram eternizadas, ao contrário dela mesma.

A frase mais perigosa na linguagem é "Nós sempre fizemos isso desse jeito"

A frase mais perigosa na linguagem é “Nós sempre fizemos isso desse jeito”

Um Navio está seguro em um porto mas não é para isso que os navios foram feitos. foram feitos para navegar pelos mares e fazer novas coisas.

Um Navio está seguro em um porto mas não é para isso que os navios foram feitos. foram feitos para navegar pelos mares e fazer novas coisas.

Se um touro não pode fazer o trabalho, no lugar de tentar um touro maior usam dois touros, quando precisamos de maior poder computacional, a resposta não é um computador maior, mas sistemas de computadores que podem operar em paralelo

Se um touro não pode fazer o trabalho, no lugar de tentar um touro maior usam dois touros, quando precisamos de maior poder computacional, a resposta não é um computador maior, mas sistemas de computadores que podem operar em paralelo

Além do COBOL foi considerada a pessoa que popularizou o termo DEBUG, pois na década de 1940 ela e seu time estavam tendo dificuldades para entenderem o erro que estava ocorrendo no computador MARK II. Finalmente eles descobriram que uma mariposa estava entre os circuitos causando um curto. Após retirarem o inseto dos circuitos ela contou aos amigos como ela “debugou” (debugged que significa algo como “eliminou o inseto”) o computador.

Foi uma das primeiras pessoas – homens ou mulheres – a programar o computador Harvard Mark I. Um dos primeiros computadores eletrônicos que existiu, foi criado dois anos antes da introdução do famoso ENIAC em 1946.

Em 2013, que seria seu 107º aniversário o Google criou um doodle em sua homenagem em que ela programava em Cobol para mostrar sua idade. Veja aqui.

grace-hopper-google-doodl-008

O instituto Anita Borg realiza desde 1994  The Grace Hopper Celebration of Women in Computing para um encontro para premiar mulheres que se destacaram em tecnologia.

Links

The Grace Hopper Celebration of Women in Computing para ensino de programação para mulheres no Instituto Anita Borg

Entrevista para David Letteman: www.youtube.com/watch?v=1-vcErOPofQ

Mini-reportagem do 60 Minutes

Palestra para Space Coast em 1987

Biografia na Universidade de Yale

Biografia no Amazing Women

Comemoração AT&T em 2011 onde foi comparada a Albert Einstein e Richard Feynman e interpretada por uma atriz

Biografia no Mulheres na Ciência

Biografia no Geek

Referência como uma da 17 mulheres engenheiras que mudaram o mundo

Reportagem da TheNextWeb

Documentário de 16 minutos sobre Grace Hopper no fivethirtyeight.com